Notícias

Como resolver infiltração na garagem do prédio?

Um dos grandes desafios enfrentados nos edifícios com garagens, subsolos, mezaninos e área sob pilotis é a infiltração.Com tempo, vão surgindo pontos de presença de umidade, descascamento de pintura, presença de matéria orgânica, além de ser bastante comum que ocorram danos aos veículos estacionados.

Apesar de ser um evento em certa medida corriqueiro, a infiltração em garagens de prédios, condomínios e edifícios tem as suas principais causas conhecidas e definidas, e também é possível traçar estratégias para resolvê-la de maneira definitiva.

Entendendo melhor: a infiltração em garagens de prédios 

O primeiro passo é entender como e porque ocorrem as infiltrações, e para tanto é preciso compreender como as garagens e pisos de estacionamentos são concebidos e executados.

Em termos de estrutura, as áreas de estacionamento são lajes, em sua maioria de concreto armado, dimensionadas para suportar os esforços gerados pelo peso dos carros. É possível executar uma garagem com estruturas metálicas e placas de concreto, como normalmente são feitos em estacionamento de shoppings.

Contudo, este não é o tipo mais comum encontrado nos prédios residenciais. O concreto é material que garante a estanqueidade, mas não é um material impermeável. Esse é um fator de extrema relevância, pois é justamente por este motivo que é obrigatório o emprego de algum tipo de sistema de impermeabilização nas lajes de concreto, em especial as que estão expostas, como é o caso das garagens de prédios.

 O concreto possui poros e interstícios por onde a água percola, fenômeno que é conhecido como infiltração. Mesmo quando não há fissuras e aberturas maiores aparentes, ainda assim é possível que ocorram patologias decorrentes da infiltração de água nas estruturas de concreto armado. 

Dessa forma, é possível concluir que a infiltração nas garagens e lajes de estacionamento dos prédios são decorrentes da ausência ou falhas (parciais e totais) dos sistemas de impermeabilização. 

Como é feita a impermeabilização em garagens de prédios

O sistema mais utilizado para impermeabilização de lajes no território nacional é a manta asfáltica. Trata-se de um sistema flexível, capaz de acompanhar as movimentações da estrutura. Este é um fator de extrema importância, pois a estrutura de concreto trabalha (expansão e retração térmica) e a impermeabilização precisa ser capaz de resistir a estas variações volumétricas sem que ocorram aberturas e fissuras. 

A manta asfáltica é um material que não possui resistência mecânica, e por esse motivo ela deve ser revestida. É por isso que a manta asfáltica não é visível: sempre há um revestimento, seja um contrapiso ou um piso. Caso estivesse exposta, a abrasão do movimento dos veículos danificaria a manta asfáltica, perdendo-se dessa forma as características de proteção contra a infiltração. 

A impermeabilização feita com manta asfáltica tem um prazo de validade. Em geral, entre 5 e 10 anos.A durabilidade e garantia da impermeabilização depende diretamente da qualidade da mão-de-obra que executa o serviço. C

omo é um material pré-moldado, fica mais sujeito à falhas de execução por mão-de-obra sem experiência. Como a manta está revestida, fica mais difícil de averiguar se ela está falhando e também de fazer algum tipo de manutenção.

Dessa forma, aos primeiros sinais de manchas, descascamento, eflorescências, goteiras e demais patologias decorrentes da presença de umidade é preciso entrar em contato com profissionais para proceder a substituição ou manutenção da impermeabilização. 

Piso não é impermeabilização

Há um erro conceitual que ocorre em algumas situações que envolvem impermeabilização, que é pensar que a execução de pisos como cerâmica, epóxi, granitina, funcionam como sistema de impermeabilização. É um equívoco pois tratam-se apenas de revestimentos.De fato, a execução de revestimentos superficiais pode inclusive mascarar problemas, agravando-os ao longo do tempo. Portanto, antes de proceder com a instalação de revestimentos em áreas expostas, primeiramente é preciso executar a impermeabilização adequada. Isso também é válido para paredes e demais elementos estruturais.

Solução prática para reforma de impermeabilização de garagens

Um dos grandes desafios que os síndicos e administradores encontram no momento de refazer o sistema de impermeabilização das garagens dos prédios é justamente o fato de ser uma intervenção onerosa, demorada e estressante para os moradores. 

Para refazer a manta asfáltica é necessário retirar todo piso e contrapiso preexistente, remover o sistema de impermeabilização, preparar o substrato e refazer todo o processo novamente. 

Durante este período, os veículos precisam ficar na rua, onde é mais difícil (quando não, impossível) encontrar estacionamento, e também ficam sujeitos à furtos, vandalismo e demais delitos. Além dos problemas para o veículo, também há a geração de entulho, que precisa ser descartado corretamente sob pena de multas ambientais.

Há ainda o barulho, sujeira e todo o desconforto que as obras geram para os moradores. Felizmente há outras alternativas no mercado que dispensam este tipo de mobilização, sem comprometer a qualidade e durabilidade do novo sistema de impermeabilização. O síndico do seu prédio pode averiguar a melhor alternativa.

Fonte: Fiber Sals

Prevenção ao coronavírus
Preconceito e Discriminação em Condomínios