Ar-condicionado em condomínios: como fazer a instalação correta

Não é segredo que, no Rio de Janeiro, faz calor o ano inteiro. Por isso, é comum o uso mais frequente de ar-condicionado, climatizando os ambientes e deixando-os mais agradáveis.

Nos condomínios, é comum que algumas dúvidas surjam entre os moradores, especialmente em relação à instalação. Quais são as regras para que o aparelho não traga problemas com o regulamento interno ou com os vizinhos.

Em primeiro lugar, você deve observar se seu condomínio possui a estrutura necessária para a instalação do aparelho. Em edifícios antigos, por exemplo, é comum que as fiações não comportem a carga. Com a infraestrutura conferida, é hora de verificar no regimento interno do condomínio se existe alguma limitação em relação a modelos, fiação aparente, onde o aparelho deve ser instalado, etc.

Na hora de escolher qual modelo será instalado, é importante que se faça uma pesquisa, levando em consideração alguns fatores. Potência, consumo de energia e barulho são alguns dos itens que devem ser checados.

A capacidade do ar, que é medida em BTUs, deve ser adequada ao tamanho e à incidência do sol no local escolhido. Quanto maior o espaço e a incidência do sol, mais BTUs o aparelho deve ter.

Já na hora da instalação, deve-se evitar que o ar seja posicionado em cima de outros aparelhos eletrônicos,  pois pode haver uma falha eventual na drenagem, deixando cair água. Também deve-se evitar que a condensadora do ar seja colocada em locais com muito sol, pois ela pode superaquecer. A drenagem também é importante, já que falhas neste sistema podem ocasionar goteiras no ambiente e infiltração nas paredes.

O mais indicado para evitar problemas na instalação é a contratação de um profissional especializado, pois é um serviço complexo e que precisa ser feito de forma correta.

6 dicas para uma assembleia mais eficiente no seu condomínio