7 dicas de segurança contra incêndio em condomínios

Quando se fala em segurança em condomínios a primeira coisa que a maioria das pessoas pensa é em bons equipamentos de monitoramento, alarmes, controles de acesso e tudo o que possa estar relacionado a impedir que pessoas mal-intencionadas consigam entrar.

Garantir a segurança do condomínio é um ponto fundamental de uma boa administração. Mas e a segurança contra incêndio em condomínios?

Poucas pessoas lembram desse importante ponto quando discutem se um condomínio é ou não seguro. No entanto, os cuidados e manutenções contra incêndios devem ser verificados constantemente. Confira 7 dicas sobre segurança contra incêndio em condomínios.

1. Equipamentos de segurança contra incêndio em condomínios

Condomínios com altura acima de 12 metros de altura e mais de 150m² devem ser equipados com extintores, hidrantes, alarmes de incêndio, iluminação de emergência e escadas de segurança com portas corta-fogo.

Lembrando que em um raio de 25 metros devem existir no mínimo 2 extintores de incêndio.

2. Extintores de incêndio

Existem diversos tipos de extintores. O extintor de gás carbônico é indicado para incêndios de classe C (que contenham equipamentos elétricos energizados), os de água pressurizada devem ser utilizados apenas em incêndios classe A (contendo apenas madeira, papel e materiais sólidos em geral).

Já os extintores de pó químico de subdividem em duas categorias: seco e especial. O seco é recomendado para incêndios de classe B (que contém líquidos inflamáveis), já que age por abafamento. Por fim, o pó químico especial deve ser utilizado em metais inflamáveis.

3. Causas comuns de incêndios em condomínios

Algumas causas bastante comuns são a sobrecarga de energia, crianças brincando com materiais inflamáveis, objetos esquecidos na tomada e panelas deixadas no fogo.

Já em prédios comerciais, bitucas de cigarro e papéis costumam ser uma dupla perigosa e responsável pelos incêndios em nesses espaços comerciais.

4. Brigadas de incêndio

O número de brigadistas por prédio varia muito da finalidade do imóvel, se comercial ou residencial, assim como do número de pessoas fixas do local, como trabalhadores do local e prestadores de serviço.

Para selecionar brigadistas é preciso cumprir com os critérios básicos para candidatura. Tais como: permanecer no edifício, possuir experiência como brigadista, ter boa saúde física, ser alfabetizado e ter responsabilidade legal.

Se nenhum dos candidatos possuir todas as qualificações, devem ser selecionados os que atenderem o maior número de requisitos.

5. Portas corta fogo

Esse item é imprescindível para que a edificação tire o Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB), mas pode salvar muitas vidas quando usado corretamente.

Mas você sabia que esse item de segurança também precisa de manutenção? Entre eles podemos citar a exigência de molas dobradiças para melhor fechamento e abertura da porta.

Outro ponto importante diz respeito sobre o trancamento dessas portas, afinal, é um recurso de emergência que deve dar livre acesso a todos em casos de emergência.

Lembre-se que as escadas são rotas de fuga e não devem ser utilizadas para guardar bicicletas, lixos e outros objetos.

6. Plano de emergência em casos de incêndio em condomínios

Todos os equipamentos estão revisados, todos os cuidados foram tomados e mesmo assim ocorreu um incêndio, saiba como agir.

Monte um plano de emergência em caso de incêndio contento a nomeação de um supervisor responsável, os procedimentos da brigada de incêndio, a planta baixa do edifício, procedimento a ser adotado pelos ocupantes do prédio, localização de todos os equipamentos contra incêndios em condomínio, além das vias de fuga e um ponto de encontro fora do local em chamas.

Todos os ocupantes do edifício devem ter acesso a esse conteúdo, todos os equipamentos e saídas devem estar sinalizados e é preciso treinar a saída do prédio em casos de emergência.

7. Como abandonar um edifício em chamas

Primeiramente, é preciso lembrar de nunca utilizar os elevadores para deixar um condomínio em chamas, parece óbvio, mas muitas pessoas acabam cometendo esse erro em um momento de desespero. Se o alarme de incêndio disparou, saia imediatamente, não espere a confirmação de que trata de um alarme falso.

Ao detectar fumaça, respire sempre pelo nariz e com inalações rápidas, se for possível, molhe um pedaço de pano ou uma roupa e mantenha sobre o rosto. Caso você fique preso em um cômodo, fique sobre o chão, pois o ar costuma ser mais limpo.

Procure ficar próximo a janelas para pedir ajuda. Nunca abra uma porta se ela estiver quente! As chances do outro lado estar em chamas, se você tentar abri-la e sentir um calor ou muita pressão, feche-a imediatamente.

Fonte: Condo Brasil

Saiba quais são as 5 cidades mais amigáveis para os ciclistas
5 dicas para economizar água nas áreas comuns do condomínio