Saiba quais são as 5 cidades mais amigáveis para os ciclistas

Você saberia dizer quais são as cinco cidades mais amigáveis para os ciclistas? Aquelas que investem pesado em infraestrutura e manutenção de ciclovias e promovem ações de segurança para os ciclistas? A cada dois anos, a Copenhagenize Design Company, uma consultoria que promove o uso de bicicletas como meio de transporte, divulga um ranking com as melhores cidades do mundo para os apaixonados pelo pedal. Em 2017, o último ranking foi divulgado, e você conhecerá agora os locais que se destacaram nesta pesquisa.

1) Copenhague, Dinamarca

Depois de perder o título para Amsterdã nas duas primeiras pesquisas, realizadas em 2011 e 2013, Copenhague retomou a primeira colocação do ranking. A cidade investiu mais de 134 milhões de euros nos últimos dez anos em infraestrutura e instalações para bicicletas. Para se ter uma ideia, 16 pontes exclusivas para bicicletas e pedestres estão sendo construídas desde 2015. O objetivo é incluir as magrelas como opção de transporte sustentável àqueles locais que ainda não integravam as bicicletas ao sistema de mobilidade da cidade. Detalhe: cerca de 62% dos cidadãos andam de bicicleta diariamente para trabalhar ou estudar na cidade – apenas 9% dirigem carros.

 

2) Utrecht, Holanda

Cidades holandesas tendem a manter seus níveis de ciclismo e investir pouco em melhorias, no entanto, Utrecht parece ir na contramão desse pensamento. A belíssima ponte Dafne Schippersbrug, exclusiva para pedestres e ciclistas, é um excelente exemplo. Outro ponto que merece destaque é o plano para construir 33.000 vagas de estacionamento para bicicletas até 2020. Isto porque a cidade já conta com 12.000 vagas! Utrecht possui ainda a “rua de bicicleta” mais extensa do país, com seis quilômetros.

 

3) Amsterdã, Holanda

Amsterdã continua sendo a cidade mais incrível para os ciclistas, porém, ao contrário de Utrecht e Copenhague, a capital da Holanda fica atrás nos quesitos inovação e investimento. A cidade até possui planos para a execução de projetos impressionantes de desenvolvimento e urbanismo para as bicicletas, mas eles ainda não saíram do papel. Outro ponto de atenção é a ascensão das scooters. Se em 2007 havia 8.000 delas, em 2016, esse número saltou para 35.000, e a cidade parece impotente diante desse cenário.

 

4) Estrasburgo, França

Estrasburgo tem sido, durante décadas, a principal cidade de bicicletas da França entre as maiores cidades do país. Ela é a primeira da França a atingir uma cota modal de 16% para o transporte de bike e houve um aumento de 3% no centro da cidade. O sistema de compartilhamento de bicicletas é bastante eficiente e permite que as magrelas sejam vistas circulando por toda a cidade. Estrasburgo tem ainda planos para a construção de uma rede de “estradas de bicicletas”, com rotas circulares e várias rotas para os subúrbios e cidades vizinhas.

 

5) Malmö, Suécia

Malmö continua focada em tornar a bicicleta um meio de transporte estabelecido na cidade. A região inaugurou a Cykelhuset – a Casa da Bicicleta –, um empreendimento projetado para permitir que os moradores vivam livres de carros e acomodem bicicletas e bicicletas de carga em todo o edifício. Ao lado, o Bicycle Hotel – Hotel-Bicicleta – oferece aos viajantes ciclistas acomodações amigáveis. Existe ainda um projeto-piloto que combina toda a logística de bicicletas de carga com a coleta de lixo. A cidade está procurando atualizar seu sistema de compartilhamento de bicicletas e desenvolver ainda mais sua infraestrutura.

 

Fonte: Condomínios Verdes

Como a tecnologia pode ser uma aliada nos cuidados da saúde
7 dicas de segurança contra incêndio em condomínios