Férias de meio de ano e o uso das áreas comuns do condomínio

O mês de julho é um dos queridinhos das crianças e adolescentes. Por quê? Pois é mês de férias dos pequenos, quando eles têm tempo de sobra para descansar, desestressar e se divertir. Isso significa um aumento do movimento nas áreas comuns do condomínio.

Nessa época, os condomínios podem fazer algumas mudanças em seu Regimento Interno, visando gerenciar melhor a utilização destes espaços. É essencial que o síndico deixe as regras de utilização bem claras para manter a organização do prédio ou condomínio. Ele pode deixá-las no mural de avisos, deixar um comunicado nas caixas de correio dos moradores ou, quando o condomínio tiver um sistema online, disponibilizá-lo também por lá.

Entre as partes que merecem mais atenção, está a questão do horário de uso. Ele deve ser estipulado de acordo com a lei do silêncio, levando-se em consideração o bem-estar dos demais moradores, que não estão de férias e precisam descansar. Também é necessário definir quem terá acesso às áreas de lazer: elas poderão ser usadas exclusivamente por moradores, ou será permitida a entrada de convidados?

Uma boa ideia, especialmente para condomínios com muitas crianças, é a organização de uma colônia de férias. Existem diversas empresas especializadas no tema para coordenar as atividades e supervisionar os pequenos. O síndico pode, em assembleia, propor a ideia aos condôminos, que devem aprovar ou não a ideia.

Os pais também devem sempre instruir seus filhos em relação à conservação do prédio, pedindo que não quebrem portas, evitem andar com bicicletas por lugares que não são apropriados etc. E não podemos deixar de lembrar que as crianças devem ter a supervisão de um adulto ou responsável enquanto brincam pelo playground. É errado confiar essa tarefa a um funcionário do condomínio, que pode estar muito atarefado com suas próprias atribuições e acabar deixando as crianças de lado. Ao descumprir essas regras, os moradores estarão sujeitos a multas estabelecidas.

O panorama da energia solar no resto do mundo