Carnaval: o controle de acesso nos condomínios

Como o carnaval está chegando e, com ele, ocorre o aumento no fluxo de pessoas, principalmente de visitantes e locatários de temporada, resolvemos fazer o post de hoje falando sobre o controle de acesso nos condomínios, para auxiliar você, síndico, e os funcionários do prédio nesse período. Confira a seguir.

Antes de tudo, verifique os pontos fortes e fracos da segurança. Para isso, analise o estado da iluminação interior e exterior; interfone, câmeras e outros aparelhos; muros, grades e cercas; escadas e elevadores; acesso dos pedestres e veículos e nível de visão da portaria, e, se necessário, providencie as alterações e melhoramentos.

Além desses tópicos, algumas medidas de segurança podem ser tomadas no cotidiano condominial, prevenindo imprevistos e situações perigosas, como:

– Nunca permitir o acesso de qualquer pessoa estranha sem a identificação.

* Se o visitante ou o prestador de serviços estiver sozinho, interfonar para o condômino, para que autorize (ou não) sua entrada;

* Se o visitante estiver com o condômino, gentilmente isolá-lo, para fazer sua identificação, sem que ele possa coagir o morador.

– Jamais abrir o portão da garagem antes de confirmar que quem está dirigindo é um morador ou um visitante previamente autorizado pelo condômino.

– Treinar os funcionários para procedimentos emergenciais.

Feito tudo isso, alguns equipamentos podem ser adquiridos para melhorar a segurança, como, por exemplo, cercas elétricas, sistemas de alarme, circuito fechado de TV (que pode ser monitorado local ou remotamente) e acionadores de emergência, fixos ou portáteis (parecidos com um chaveiro).

Vale ressaltar que os sistemas eletrônicos ajudam, e muito, porém, a presença de uma pessoa (que deve estar preparada para situações de risco) faz toda a diferença. A tecnologia desses diversos aparelhos e sistemas ajuda, sem dúvida, mas não deve estar sozinha.

Como afirmado, um profissional, como um vigia ou segurança, deve ter recebido treinamento para sua função, sabendo lidar em situações perigosas, acalmando moradores e visitantes e reagindo da melhor forma a um bandido, por exemplo. Uma equipe de funcionários bem preparados faz toda a diferença.

Portanto, é importante investir tanto em tecnologia, como em treinamento dos empregados do prédio. Além disso, pode-se desenvolver, entre os moradores, um sistema de ajuda mútua, caso ocorra alguma situação de perigo, instaurando-se códigos, por exemplo.

Agora que você já tem todas essas dicas, deixar o condomínio inseguro e vulnerável está fora de cogitação, né?! Portanto, proteja-o, e conscientize todos, moradores e funcionários, a fazerem sua parte! Assim, o condomínio estará seguro em qualquer época do ano. 😉

Verde ganha mais valorização dentro e fora das construções
Rio de Janeiro é a cidade mais procurada para o Carnaval 2017