Como cultivar frutas na sua varanda

Jabuticabas, pitangas, limões e morangos. Já imaginou colher essas frutas na varanda de seu apartamento ou quintal? Com alguns cuidados, seu sonho de ter um pomar pode virar realidade.

Limoeiro: É uma das frutíferas mais fáceis de cuidar, principalmente em vasos. Mas tome cuidado: a espécie apresenta espinhos no caule e nos ramos.

Parreira: Por ser uma trepadeira, ela precisa ser tutorada e conduzida em algum suporte, como uma pérgola ou caramanchão. Os períodos de floração e frutificação variam de acordo com a região, o clima e a variedade de uva. Não se assuste: após a colheita dos frutos, ela perde todas as folhas.

Romãzeira: Desde a antiguidade, vários povos têm a romã como fruta sagrada e como símbolo de prosperidade. Resistente a condições diversas de temperatura e tolerante a podas, dá lindas flores.

Pitangueira: Além de ser uma espécie rústica e de baixa manutenção, ela é bastante ornamental, seja pelas cores do tronco, pelo perfume das flores, seja pela delicadeza de suas folhas. Os frutos costumam surgir na primavera. Ao cultivá-la em vasos, é preciso acrescentar areia ao substrato para torná-lo mais drenante.

Umidade é fundamental
Quando cultivadas em vasos, as frutíferas pedem mais regas do que quando plantadas diretamente na terra. É importante garantir umidade suficiente para seu desenvolvimento, porém sem encharque, pois isso pode comprometer as raízes.

Sabor pendente
Morangos podem ser usados como forração em um vaso com jabuticabeira. Embora não garanta frutas o ano todo, a espécie pende para fora do recipiente, esbanjando charme. A jabuticabeira oferece a sombra necessária ao morango e a água usada para regar o vaso é suficiente para nutrir a forração.

Jabuticabeira: Quando seu tronco fica coberto de flores, isso significa que a próxima temporada de frutos será generosa. Mas não se esqueça: para render jabuticabas saborosas, a espécie exige boa quantidade de regas. Em condições ideais de clima e de cultivo, pode florescer até quatro vezes por ano.

Laranja-kinkan: Ótima para fazer compotas ou geleias, ela rende frutos desde o fim do verão até a próxima primavera. E também dá flores muito cheirosas.

O sol é para todos
As principais espécies frutíferas – romãzeira, jabuticabeira, limoeiro, laranjeira e pitangueira – precisam de sol pleno para produzir. Mas cuidado com o vento em excesso: este sim pode
ser bastante prejudicial.

Longe das pragas
Para proteger as plantas contra o ataque de insetos, faça pulverizações com óleo de neem, produto orgânico facilmente encontrado em lojas especializadas e que não oferece os riscos dos agrotóxicos convencionais.

De olho no peso
Existem diversos tipos de vasos: de plástico, de barro, de cerâmica vietnamita, de cimento e de resina. Além de apresentarem uma diferença em relação à absorção da água proveniente das regas, os materiais também se diferenciam pelo peso. Quem mora em apartamento precisa atentar a essa questão, por isso, é importante contratar um paisagista para cuidar do projeto. O profissional saberá calcular o peso total do conjunto (vaso + substrato + espécie) e indicar se é possível ou não a colocação no local.

Cama especial
Uma boa dica para jardins sobre laje, como em apartamentos térreos, é criar uma caixa de contenção de alvenaria para abrigar a espécie. Essa solução aumenta a profundidade disponível para a raiz crescer.

Saúde é o que interessa
A adubação mensal é fundamental para manter as espécies em vasos sempre saudáveis. Além de fornecer nutrientes às plantas, os adubos melhoram a textura do solo. Entre os adubos orgânicos, húmus de minhoca e farinha de osso (ou de cascas de ovos) são ótimas opções. Já quanto à adubação química, invista em NPK 10-10-10.

Tamanho é documento
Um dos erros mais comuns é cultivar a planta em um vaso menor do que o ideal. O torrão, aquela parte de terra que vem junto com a raiz, não pode ser retirado no transplante da espécie. O novo lar deve ser, no mínimo, 20% maior do que o original. O ideal é deixar 10 cm entre o torrão e a parede do vaso.

Dicas:
– “Dê preferência às espécies em versões híbridas, pois estas são menores e se adaptam melhor ao plantio em vasos”, Odilon Claro, paisagista da Anni Verdi.

– “Dê preferência aos vasos impermeabilizados e com burtaco no fundo. Coloque uma boa camada de argila expandida, adicione uma manta drenante de poliéster e então a terra. Para deixá-la tica em nutrientes, misture húmus de minhoca”, Susana Udler, paisagista.

– “Terminado o plantio, é recomendável cobrir a superfície da terra com casca de árvore: além de o vaso ficar mais bonito, a cobertura protege e conserva a umidade. Mantenha a espécie em lugar arejado, mas longe de ventos”, Paula Galbi, paisagista.

 

Fonte: Revista Casa e Jardim

Dicas de decoração para fazer da sua casa um espaço (ainda) mais feliz
Prepare sua casa para a chegada de um animal de estimação