Como calcular uma reforma na sua casa

Quando se pensa em reformar algum cômodo da sua casa (às vezes, vários!), uma preocupação recorrente é de qual será a quantidade de materiais gastos com aquele projeto. Por isso, para tentar te dar uma mãozinha nesse assunto, o post de hoje vem falando sobre como calcular a reforma da casa. Ficou interessado?! Siga lendo…

Caso você entre em contato com alguma empresa especializada para gerir toda a obra, com o objetivo de não se envolver, tomar decisões etc., não passará por muitos estresses dela, mas, com certeza, pagará bem mais por isso. Se o seu caso não é esse e você quer supervisionar a reforma, até para conferir se tudo está ficando mesmo como você idealizou, deve ficar atento!

Normalmente, o pedreiro passa uma lista dos materiais que serão necessários. É importante prestar muita atenção a isso, para não comprar materiais demais, gastando mais do que deveria, e também não comprar de menos, atrasando a obra. Confira algumas dicas que te darão um help em cada parte do processo.

  • Tijolos: para calcular a quantidade de tijolos, deve-se saber qual tipo de tijolo usar e também qual é a área (largura x altura).
  1. Com uma trena, meça a largura e a altura da parede a ser construída. Se houver portas e janelas, desconte suas áreas de ocupação.
  2. Então, some as áreas de todas as paredes, para chegar no valor total.
  3. Em seguida, você deve escolher o tipo de tijolo que será usado (de concreto, cerâmica, comum maciço etc.) – dê uma rápida pesquisada na internet para entender um pouco mais sobre essa escolha.
  4. Cada tipo de tijolo demanda certa quantidade para preencher 1m². Portanto, é para isso que você deve definir o tipo de tijolo e, junto ao cálculo da área, definir quantos tijolos serão necessários.

Dica: compre 10% a mais, para que qualquer eventualidade que surgir seja sanada rapidamente.

  • Revestimentos: as peças são, normalmente, vendidas por m². Em geral, peças menores ficam melhores em ambientes pequenos e geram menos perda com recortes.
  1. Faça o cálculo da área do piso (comprimento x largura) para o cômodo. Então, você saberá quantos m² precisará comprar de piso.

Dica: novamente, a brecha dos 10% entra em ação.

Caso escolha colocar o piso na diagonal, a perda com recortes pode ser ainda maior, necessitando de um pouco mais de material excedente.

  1. Para a parede, é o mesmo cálculo, precisando, novamente, descontar quando houver portas e janelas.
  2. Para o rodapé, que é vendido, normalmente, por metro linear, basta medir os contornos das paredes do ambiente.
  • Tinta: é importante destacar que nem sempre a tinta mais barata significa economia já que, dependendo da cobertura serão feitas mais ou menos demãos.
  1. Calcule a área de cada parede (largura x altura) do cômodo e some todas elas. Caso haja muitas portas e janelas, desconte suas áreas. Se forem poucas, nem precisa.
  2. Para o teto, faça, também, o cálculo de área (comprimento x largura).
  3. Normalmente, cada litro de tinta (do tipo standard) pinta 5m². Você terá pensar em quantas demãos dará. E também escolher entre comprar o galão de 3,6 litros ou a lata de 18 litros (um galão de 3,6l pinta 18m², já o de 18l, 90m² – sendo uma demão, naturalmente).
  • Caixa d’água: de forma geral, uma pessoa consome 150l de água por dia, morando numa casa. Em apartamento, esse número sobe para 200l por pessoa (em razão da pressão da água: mais pressão = maior consumo). Recomenda-se que a caixa d’água reserve o suficiente para dois dias.
  1. Primeiro, soma-se a quantidade de pessoas que moram naquele lugar.
  2. Então, multiplica-se por 150 (casa) ou 200 (apartamento).
  3. Daí, é só multiplicar por 2 (dias).

Por exemplo, uma casa com quatro pessoas demanda uma caixa d’água de 1200 litros.

As caixas d’água têm dimensões padrão. Você pode escolher uma unida, com capacidade próxima do que você precisa, ou combinar duas caixas, se necessário. Uma vantagem de usar duas é dividir o peso sobre a laje.

  • Tomadas: é necessário pensar bem nos equipamentos que cada cômodo acomodará, para não sobrecarregá-los com benjamins e afins.

Existe uma quantidade mínima de tomadas de uso geral (usadas para aparelhos de TV, ventilador de chão e liquidificador, por exemplo) que devem ser instaladas, de acordo com a área dos cômodos.

  1. Pelo menos uma tomada de 100VA a cada cômodo de 6m². Para cômodos maiores, calcule uma tomada para cada 5 metros de parede.
  2. Para cozinhas, copas e áreas de serviço, deve haver, ao menos, uma tomada a cada 3,5 metros. É interessante instalar uma acima da pia, para o que precisar. Também vale lembrar-se do forno micro-ondas e/ou forno elétrico, geladeira e máquinas de lavar, que precisam de tomadas exclusivas.
  3. Nos banheiro, coloque ao menos uma tomada, garantindo que esteja distante do Box (pelo menos 60 centímetros).
  4. Em garagens, varandas e sótãos, aconselha-se, novamente, ao menos uma tomada.

Pronto, agora ficou mais fácil acompanhar e gerenciar os materiais da sua obra, né?! Esperamos que sim! Lembrando que cada lar tem sua necessidade, então, deve-se pensar bem nas características da família, do cômodo, dos aparelhos, e outros detalhes, para melhor encaixar tudo.

Atenção com a fachada do prédio
Conta de luz deve baixar até 12% para os consumidores da Light