Região portuária ressurge como área de interesse para moradia

A região portuária é um dos destaques dentre os locais de interesse para construção de unidades habitacionais na cidade do Rio de Janeiro.

Entre os principais benefícios, estão a facilidade de transporte e de integração com outros bairros, proximidade da principal região empregatícia e cultural e o aumento da qualidade de vida dos moradores.

“A região do Porto, do ponto de vista de novas residências, pode gerar um boom imobiliário fantástico para a cidade do Rio de Janeiro. É uma área com muito espaço, facilidade de mobilidade, proximidade com o maior centro de trabalho do estado e integração com outros bairros, por meio de túneis e outras formas de transportes públicos, como metrô, trem, VLT e BRT”, observa o vice-presidente administrativo do Secovi Rio, Ronaldo Coelho Netto.

Em reportagem recente do DCI, a Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto Maravilha (Cdurp) falou sobre o potencial econômico da região, que recebeu R$ 9,9 bilhões em investimentos e tem 85% das obras de urbanização e infraestrutura concluídas.

Os Certificados de Potencial Adicional de Construção (Cepacs), negociados com empreendedores imobiliários, garantiram os recursos investidos pela prefeitura, que projeta o aumento de 32 mil para 100 mil no número de habitantes na região de 5 milhões de metros quadrados.

“As melhorias de mobilidade na cidade do Rio trazem uma nova possibilidade de moradia, inclusive para residirem em outros municípios da Região Metropolitana do Rio”, acredita Ronaldo Coelho Netto. Levantamento feito pela Prefeitura do Rio a partir de 2013 prevê 51 projetos residenciais, 38 comerciais, 8 culturais e 7 hoteleiros, entre outros ,no Porto.

No período olímpico, a região viu o aumento de ações para formação de profissionais e contratação de moradores. Cerca de 15% dos funcionários da Cdurp, do Museu do Amanhã e do Museu de Arte do Rio (MAR) vivem nos arredores. Hotéis e bares e o sistema do VLT também empregam mão de obra que vive na região do Porto Maravilha.

(DCI)

O conceito por trás das “cidades ativas”
Negociar melhoria para imóvel alugado requer bom senso e documento em ordem