Mesmo tímido, mercado prevê novos lançamentos imobiliários

O Ano Novo está no começo, mas as projeções ainda estão tímidas para o mercado imobiliário, mesmo sendo considerado um ano de ouro por conta da Cidade do Rio sediar os Jogos Olímpicos. Construtoras como MRV Engenharia, Concal e Fernandes Araujo já estão com projetos prontos para sair do forno em cidades estratégicas do estado. A MRV Engenharia, por exemplo, está otimista em relação às perspectivas do setor no Rio para os anos de 2016 e 2017, apesar do cenário macroeconômico atual, que representa grandes desafios.
De acordo com o presidente da MRV, Rafael Menin, a construtora vai investir mais R$ 1 bilhão para o lançamento de mais 10 mil unidades no estado, em cidades como Campos dos Goytacazes, Macaé, Rio das Ostras, Maricá, Itaboraí, São Gonçalo, Duque de Caxias, Nova Iguaçu, Belford Roxo, Mesquita e Rio.
A construtora iniciou suas operações no Rio em 2001 e já entregou 13 mil imóveis. O foco da construtora é o segmento de unidades econômicas, que utilizam recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).
Segundo o vice-presidente do Grupo Concal, Rodrigo Conde Caldas, a indefinição política provocou falta de expectativa econômica em todos os setores. “Acreditamos que assim que esse cenário de crise política se resolver, o mercado voltará a ser otimista. Temos boas expectativas para este ano. Para nós, as obras de infraestrutura em andamento dos Jogos Olímpicos e o próprio evento vão trazer boas oportunidades. Será um momento único para a cidade”, prevê Caldas, ressaltando que Rio vai estar em evidência no mercado, tanto no Brasil quanto no exterior.
A Concal vai lançar empreendimentos com foco, justamente, neste cliente de fora. “A prioridade será construir residenciais nas zonas Sul e Norte”, adianta Caldas. O bairro de São Cristóvão vai receber condomínio com unidades compactas.
Zona Norte entre as apostas
A Fernandes Araujo anuncia que tem planos de lançamentos para Zona Norte, até para aquisição de novos negócios. “O foco para este ano continua os residenciais para o consumidor final”, diz Paulo Araujo, diretor comercial da empresa.
Ele lembra que o ano de 2015 foi de poucos lançamentos e com grande movimentação para zerar os estoques, principalmente, das grandes construtoras.
“Em 2016, o cenário não deve ser muito diferente. Os bairros do Recreio dos Bandeirantes e de Jacarepaguá continuam com excesso de ofertas, mas será um ano de oportunidades de lançamentos em outras regiões pouco ofertadas. Acreditamos que o cenário deve mudar para melhor no final de 2016 e no início de 2017”, aposta Araujo.

Caixa vai financiar até R$ 225 mil
A Caixa Econômica Federal acaba de anunciar que vai priorizar os financiamentos de imóveis avaliados em até R$ 225 mil este ano. Neste caso, a renda familiar pode chegar a R$ 6.500.
Esses contratos serão assinados utilizando recursos do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço). Segundo a direção da Caixa, o banco vai seguir a mesma determinação do ano passado, ou seja, foco no atendimento à habitação de interesse social.
Essa medida se deve ao segmento representar mais de 90% do déficit habitacional e, também, em decorrência da escassez de recursos da caderneta de poupança para financiar empreendimentos.

Fonte: O Dia

Qual a diferença entre seguro habitacional e residencial?
Transforme a área externa da sua casa