Imóveis sustentáveis: o jeito verde de morar

As mudanças climáticas que atingiram nosso planeta ultimamente levantaram a preocupação de todas as pessoas conscientes com a obtenção de formas mais ecológicas de exercer as atividades humanas e conseguiram, desta forma, gerar esforços para garantir uma melhor coexistência entre homem e meio ambiente. Essa preocupação chegou até o setor da construção civil que historicamente é um dos setores da atividade humana que mais degrada e destrói o meio ambiente. Tanto o urbano quanto o dos lugares de onde se realiza a extração dos insumos básicos para seus fins.

Baseados nos acontecimentos ambientais e nas notícias de que grandes reservatórios e fontes de recursos naturais consideradas perenes ou renováveis estavam ameaçadas dedesaparecer, grupos de cientistas e de pesquisadores acabaram buscando e desenvolvendo uma nova forma de construção que possibilitassem ao setor da construção civil reduzir o seu impacto ambiental e, ao mesmo tempo, proporcionar um significativo ganho na qualidade de vida de seus clientes. As novas unidades habitacionais experimentais que surgiram na Europa e nos Estados Unidos acabaram sendo um sucesso comercial estrondoso e lançaram as bases para um novo jeito de construir e de morar: Os imóveis sustentáveis.

Esse novo jeito verde de viver e morar trouxe à baila o surpreendente retorno comercial da venda de imóveis sustentáveis e fez dessa base inicial a alavanca propulsora que catapultou todo um conceito incipiente para uma nova e profunda realidade cotidiana das grandes cidades.

A grande verdade é que a percepção criada na humanidade de que é impossível manter, de forma sadia e por longo tempo, o inacreditável fluxo de consumo dos recursos naturais que vínhamos impondo ao nosso planeta acabou exigindo uma tomada de posição das pessoas que eram justamente as responsáveis pelos setores econômicos que mais consumiam esses recursos e que mais contribuíam para a poluição e para a destruição do meio ambiente.

A elaboração de técnicas, criação de tecnologias que permitiram o uso racional e mais eficiente de recursos tão preciosos acabaram criando um novo conceito em moradia: os imóveis sustentáveis. Unidades habitacionais capazes de aproveitar e de reciclar água da chuva e por diversas vezes de garantir a geração de energia elétrica (em muitos casos de forma autônoma e totalmente auto-suficiente). Isto impactou de forma profunda e definitiva na forma como as habitações eram construídas anteriormente e condenou esse antigo modelo a um desaparecimento gradual, porém consistente.

Os imóveis sustentáveis mais eficientes, mais econômicos e proporcionando uma melhorqualidade de vida aos seus moradores começaram a representar um percentual cada vez maior dentro das carteiras de venda das construtoras que se dedicaram a este nicho de mercado que estava em formação.

Hoje, a venda de prédios e residência sustentável e o jeito verde de morar já são uma realidade cotidiana e um grande sucesso financeiro que atrai, cada vez mais e mais, empreendedores do setor da construção civil para esse novo El Dorado imobiliário.

 

Fonte: atitudessustentaveis.com.br

6 dicas para ter uma casa mais fresca
Como manter a boa administração do prédio diante da economia em baixa?