Mofo e bolor: Como prevenir estes problemas em casa?

Diferente do que a maioria pensa, o mofo e o bolor não são exatamente a mesma coisa. Os dois são causados por fungos, mas enquanto o bolor apenas infecta os objetos, o mofo corrói o material afetado. O primeiro, em relevo, fica em tonalidade acinzentada e pode ser facilmente removido com pano úmido. Já o segundo deixa pontos pretos mais difíceis de serem retirados, principalmente em objetos fibrosos e tecidos.

Veja as dicas selecionadas para você evitar esses inimigos em casa:

Roupas e armários:

– Sol e ventilação são aliados importantes contra os fungos. Durante o ano, retirar as peças do armário e colocá-las no sol por uns minutos é importante para arejar as peças, assim como deixá-las em um lugar bem ventilado, durante pelo menos uma hora, para que esfriem antes de ir para o armário. Exaustor de banheiro, se o ambiente não tem janela, também é um elemento fundamental;

– Frequentemente, deixe portas e gavetas dos roupeiros abertas para manter a ventilação e arejar durante o dia;

– Nunca guarde roupas sem lavar, mesmo quando parecem estar limpas. Qualquer gota de suor, chuva ou mesmo a gordura natural do corpo quando ficam por muito tempo impregnados nas roupas podem causar manchas e criar fungos;

– Couro é suscetível ao mofo, então retire suas peças do armário regularmente para arejar. Peças de lã não devem ser secas em secadora;

– Para mofo em tecido branco ou de cor resistente, mergulhe a peça e deixe um pouco na água com cândida diluída. Em tecido de cor, umedeça com suco de limão. Sintéticos ou seda, molhe num banho de leite;

– Você pode optar, também, por soluções caseiras. Utilizar pedaços de giz de lousa ou comprimidos efervescentes espalhados pelo guarda-roupa ajudam a absorver a umidade. De tempos em tempos, descarte-os e reponha novos.

Paredes:

– Para mofo superficial, onde não há descasques de tinta e reboco, produtos antimofo ou impermeabilizantes podem ser a solução. Primeiro, faça a remoção da tinta, pois ela é um tipo de selante e não facilita a penetração nos poros do reboco, para depois passar o produto;

– Quando há infiltração e o reboco desagrega ou solta pedaços da tinta, o procedimento é mais complicado. Nesse caso, um profissional deve ser chamado e será necessária a aplicação de produtos mais fortes para o isolamento dos tijolos e até mesmo das vigas da casa.

Móveis:

– O bolor se instala, geralmente, atrás dos móveis, pois a parede pode estar mofada ou o local pode ser mal arejado e não pegar sol. Deixar um intervalo de cinco centímetros de distância entre a parede e o móvel ajuda na circulação de ar no local e evita o emboloramento;

– Em sofás e poltronas, quando o mofo é recente (por volta de três meses) e ainda não se instalou nas fibras do estofamento, a remoção é possível. Caso contrário, a mancha não sairá totalmente, mas poderá ser clareada;

– Caso os móveis sejam guardados, deve haver o cuidado em cobri-los com mantas de tecido para proteger do pó. Se a proteção for feita com papelão, há o risco de em alguns móveis, como os com cobertura laca, o papel grudar, daí será necessária a restauração do móvel. Embalar direto no plástico também pode gerar problemas, porque no inverno o plástico condensa e certamente vai mofar o móvel. Estofados com tecidos que contêm muito algodão são difíceis para retirar a mancha;

– Para retirar o mofo o ideal é deixar o estofado ou móvel secar ao sol ou com algum equipamento de secagem. Depois de bem seco, esfregue uma escova ou esponja (conforme a sensibilidade do tecido) sem nenhum produto e nem água. Se o mofo for recente, uma grande parte pode ser removida. Depois disso, use um produto tira-mofo. Mas teste antes em alguma parte não muito visível do tecido, para evitar outras manchas indesejáveis.

 

Fonte: Revista ZAP / Por: hagah

PBGás mostra como reduzir custos operacionais dos edifícios
6 dicas para ter uma casa mais fresca