PBGás mostra como reduzir custos operacionais dos edifícios

As vantagens e utilidades do gás natural em edifícios residenciais foram apresentadas pelo engenheiro e gerente de Mercado Residencial e Comercial da PBGás, Renato Vilarim, em palestra na tarde desta sexta-feira (27), durante o Encontro de Síndicos 2015, promovido pela Revista Condomínio, com apoio do Sindicato das Habitações (Secovi-PB) e da Companhia Paraibana de Gás (PBGás).
De acordo com Renato Vilarim, estudos demonstram que o gás natural pode reduzir os custos operacionais em edifícios, como a energia elétrica, quando utilizado para aquecimento ou resfriamento de água ou climatização.
De acordo com Renato, aparelhos a gás para aquecimento de água, seja por aquecedores de passagem ou por acumulação (boyler), substituem a utilização do chuveiro elétrico, que representa 26% do consumo de energia no horário de ponta.
Renato ressaltou que a PBGás chega neste mês de dezembro a 10 mil clientes residenciais e comerciais e a 259 edifícios interligados ao gás natural pelas inúmeras vantagens como a comodidade por dispensar armazenamento de botijões e reabastecimento por caminhões, já que o fornecimento é contínuo, a segurança por ser mais leve que o ar e também por apresentar preços competitivos com outros combustíveis.
O presidente do Sindicato das Habitações (Secovi-PB) e administrador de condomínio, Inaldo Dantas, afirmou que síndicos, administradores de condomínios e moradores só têm a ganhar com o gás natural pela sua comodidade de não precisar de reabastecimento por caminhões, por dispensar estoque de botijões e oferecer mais espaço e pelo custo benefício.
“Desde que o primeiro edifício foi ligado em 2008, nenhum deles deixou de utilizá-lo ou voltou a utilizar outro combustível. Essa é a prova da eficiência do produto e dos serviços da PBGás”, destacou Inaldo.
O síndico profissional Luiz Carlos Ferreira disse que administra dois condomínios que fazem o uso de gás natural e destaca que o primeiro impacto positivo foi com relação à redução do custo se comparado ao GLP.
Ele também destacou a segurança, já que com o gás natural não é necessário estocagem e nem reabastecimento por caminhão, o que deixa todos os moradores mais tranquilos.

Fonte: http://www.paraiba.com.br/

Por uma taxa condominial mais enxuta
Mofo e bolor: Como prevenir estes problemas em casa?